Blog: O processo de cura por meio da arte

 

 

Veja um belíssimo exemplo de como a arte pode ser utilizada como ferramenta no tratamento psicológico no campo da Saúde Mental, sempre tendo como princípio a ética, o respeito aos direitos do outro e a humanização nos atendimentos.

 

 

Em 2012 estive no Rio de Janeiro e tive o prazer de visitar o Museu de Imagens do Inconsciente. O Museu foi fundado em 1952 pela Dra. Nise da Silveira, uma mulher incrível e cheia de determinação. Foi uma das primeiras pessoas a denunciar as atrocidades ocorridas dentro dos antigos manicômios, os choques elétricos e a lobotomia.

 

Compreendeu a importância do afeto no tratamento dos chamados “doentes mentais”, trabalhando com respeito, humanização e defendendo a dignidade e o direito destas pessoas. Mergulhou sua vida e suas pesquisas numa combinação entre psicologia e arte, utilizando as mais variadas técnicas (pintura, escultura...) como recursos expressivos e provando que todos são capazes de produzir o que é belo. O acervo do Museu é composto por obras de qualidade artística e científica produzidas nos ateliês de pintura e modelagem.

O Museu de Imagens do Inconsciente conta atualmente com cerca de 360.000 obras, sendo todas catalogadas e devidamente cuidadas para que se mantenham conservadas.

 

O Museu é compreendido como um museu vivo, pois as obras não param de ser produzidas. No espaço funciona o Ateliê, local onde os clientes atendidos, na sua maioria externos, já não vivem mais sob as sombras de uma psiquiatria alienada. Por meio da afetividade e expressão criativa livre, podem entrar em contato com seus conteúdos internos e trilhar o caminho para a autocura.

 

“Através do conjunto de seu trabalho, Nise da Silveira introduziu e divulgou no Brasil a psicologia junguiana. Interessada em seu estudo sobre os mandalas, tema recorrente nas pinturas de seus pacientes, ela escreveu em 1954 a Carl Gustav Jung, iniciando uma proveitosa troca de correspondência.

Jung a estimulou a apresentar uma mostra das obras de seus pacientes que recebeu o nome "A Arte e a Esquizofrenia", ocupando cinco salas no "II Congresso Internacional de Psiquiatria", realizado em 1957, em Zurique. Ao visitar com ela a exposição, a orientou a estudar mitologia como uma chave para a compreensão dos trabalhos criados pelos internos”. (Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Nise_da_Silveira).

 

Chegando ao local fiquei extremamente feliz por estar naquele lugar e confusa por não saber o que esperar, mas me surpreendi com a hospitalidade das pessoas que ali trabalham. Pude assistir filmes e matérias a respeito da trajetória do Museu, da Dra. Nise e das pessoas que por ali passaram, conversar sobre o trabalho realizado nos ateliês e ver outros materiais que vem sendo produzidos ao longo destes sessenta anos de Museu, que foi pioneiro nos processos de transformação que culminaram na Reforma Psiquiátrica.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dra. Nise da Silveira e C. G. Jung

 

 

 

 

 

 

 

 

Ateliê do Hospital

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Museu de Imagens do Inconsciente do Hospital

 

 

O Museu de Imagens do Inconsciente fica no Instituo Municipal de Assistência à Saúde Nise da Silveira (antigo Centro Psiquiátrico Pedro II).

Rua Ramiro Magalhães, 521 - Engenho de Dentro

CEP 20730-460 - Rio de Janeiro

Telefone: (21) 3111 7471 -  Fax (21) 3111 7465

www.museuimagensdoinconsciente.org.br

 

Please reload

Saiba Mais Sobre

Exigir muito de si mesmo

1/10
Please reload

 Dicas e Tratamentos
Please reload